Tag: Omo

Negócio

Brandicídio Unilever 2

A Unilever é uma das empresas campeãs na construção de marcas líderes. Mas, sabe-se lá por quais razões, depois de algum tempo negligencia, cochila, encanta-se com uma bobagem, e joga décadas de investimento e competência literalmente no lixo. E tem uma habilidade ainda especial em construir marcas voltadas para as mulheres. A melhor das marcas construídas no território feminino das últimas décadas foi Dove. Exclusivamente para as mulheres, mulheres de verdade, de todos os tipos, tamanhos, cores, alegrias, felicidades, emoções. E aí um dia, um estagiário, apiedou-se de um homem na gôndola do supermercado querendo comprar um desodorante Dove, mas envergonhado pela tampa cor de rosa, e sugeriu uma linha masculina para Dove. 40 anos e centenas de milhões de dólares jogados no lixo diante de uma estultice de monumental dimensão. Mas, não para por aí. Em 1909, na Inglaterra, e aproveitando-se de uma iniciativa do ano anterior, a UNILEVER lança um alvejante em pó com a marca OMO, abreviatura de Old Mother Owl – Velha Mamãe Coruja. Na embalagem uma coruja. Nos olhos, os dois Os, e no bico, o M. Em 1954 decide lançar a versão de OMO como detergente. Três anos depois a Unilever decide lançar OMO sabão em pó e na cor azul no Brasil, 1957. Pela extraordinária competência e qualidade do lançamento, e durante mais de 50 anos de marketing irretocável, a OMO converteu-se, segundo o Top Of Mind da Folha e Datafolha, na marca mais consagrada do Brasil. Em sua categoria, e em todas as demais. Mais, até, que Coca-Cola. Mas, como existe uma espécie de anatema sobre aquela empresa, sempre alguém resolve melhorar o que já é ótimo e reina de forma absoluta, numa tentativa maluca de deixar sua marca, a marca daquele profissional, pega a empresa desprevenida, a proposta evolui, e a tragédia consuma-se. Anos atrás, sabe-se lá por quais razões e motivos, decidiu deixar de apenas produzir, aprimorar, e manter a liderança espetacular de OMO, e converter-se, também, em prestadora de serviços. Passando a concorrer com milhares de lavanderias em todo o País que possivelmente utilizavam seus produtos, ao invés de fortalecer ainda e mais essa parceria. Lançou o projeto OMO Express, pessimamente comunicado o que provocou uma tempestade de reclamações agregando pequenas manchas de descontentamento e indignação daquelas mulheres que adoram a marca, na marca de sua adoração, OMO. No ano passado, e ao invés de dar marcha à ré e reconhecer a bobagem, decide avançar mais e lança, convertendo o OMO Express, em OMO Lavanderia… Socorro!!! Para começar com um lote significativo de OMO Lavanderia, decidiu comprar uma rede já em funcionamento, com mais de 120 unidades, do Grupo Acerte… O Grupo Acerte… A decisão, erro monumental. Não da compra, de se meter em território que não tem absolutamente nada a ver com seu DNA. Se der certo, se for um megassucesso, não muda em nada a última linha do balanço da empresa. Mas se der errado, coloca em risco, a marca mais querida do Brasil… A iniciativa é tão absurda que dispensa quaisquer e outros comentários adicionais.
Blog do Madia MadiaMM

Diário de um Consultor de Empresas – 19/02/2021

Francisco Madia comenta sobre a UNILEVER BRANDICÍDIO 2. Depois de detonar uma das 10 melhores marcas dos últimos 60 anos, a UNILEVER coloca em risco, pateticamente, a marca mais querida das mulheres brasileiras… Grande campeã do TOP OF MIND do DATAFOLHA de todos os anos.