Tag: GLobo

Blog do Madia

Diário de um Consultor de Empresas – 23/11/2021

CENAS DO MUNDO MODERNO Ainda, durante alguns, mas, poucos anos, as empresas continuarão dizendo não serem responsáveis… Mas, repito, por poucos anos…
Negócio

“Quem planta tâmaras não colhe tâmaras”

Esse é um provérbio grego e que traduz uma verdade definitiva de muitas situações em nossas vidas. E é preciso ter grandeza de espírito para aceitar e se conformar com essa verdade. Plantar sempre, o que jamais colheremos. Mas nossos descendentes se fartarão. De certa forma, e mesmo num curtíssimo período, isso é o que vem acontecendo com a mais importante plataforma de comunicação do Brasil ‒ ainda, a Globo. Desde meado da década passada, a que acabou de terminar, a Globo deu início a um processo de reinvenção. E, de certa forma, no ano de 2018 terminou a primeira etapa, com a definição dos grandes traços dessa reinvenção, e que foi apresentada ao público como “uma só Globo”. Parcela expressiva das pessoas que participaram da definição desse novo posicionamento, e do repensar a Globo, já não fazem parte mais do capital humano da Globo. Foram dispensadas. Mais ou menos como no provérbio grego, “quem planta tâmaras não colhe tâmaras”. Segundo consta, uma tamareira só começa a produzir frutos depois de 100 anos, e assim que planta não vive nem para colher e muito menos para comer. Mesmo num prazo curtíssimo é o que acabou acontecendo com parcela expressiva dos profissionais que participaram do planejamento e início da execução da nova Globo, ou da uma só Globo. Semanas atrás, uma grande parte do processo foi declarada encerrada, e o fecho de tudo uma Nova Marca. Segundo as pessoas que hoje comandam o Grupo, e os irmãos Marinho, acionistas, “uma marca mais leve, acessível, próxima”. Essa nova marca, segundo o “release” distribuído pela Globo, tem seis valores básicos: brasilidade, proximidade, diversidade, comunidade, liberdade, e, criatividade. Um festival de generalidades que, de verdade, jamais traduzirão o verdadeiro sentido e entendimento do que é valor. Ou, de como se define e constrói os valores de uma empresa. Enfim, amigos, aconteceu. Como tudo e todos são mortais, o grande ciclo de ouro da então Rede Globo de Televisão, começou a encerrar-se no início da década de 2020, e tem seu ponto final colocado agora, década de 2021, 10 anos depois. A Globo, na tentativa da sobrevivência, deu um mega reset. Mas, e não necessariamente, todos os resets dão certo. Talvez, nem mesmo, façam sentido… Às vezes, com relativa frequência, alguns resets antecipam o respiro final… Vamos continuar acompanhando e procurando sempre tirar importantes e decisivas lições e aprendizados para nossos negócios, e até mesmo para nossas vidas. Nenhuma outra instituição impactou e mudou tanto, a história de nosso país, para melhor, como a Rede Globo de Televisão. Muito especialmente quando a responsabilidade por seu conteúdo levava a assinatura do José Bonifácio de Oliveira Sobrinho. O Boni. Desde que saiu, a Globo foi deixando sua alma pelo caminho.
Blog do Madia

Diário de um Consultor de Empresas – 23/06/2021

PICS – PLATAFORMAS IMPRESSAS DE COMUNICAÇÃO – EM SUAVE E GRADATIVA DECADÊNCIA. Em domingo recente a FOLHA publicou uma grande matéria, com a seguinte chamada de capa, “FOLHA É O JORNAL MAIS NACIONAL E O DE MAIOR AUDIÊNCIA E CIRCULAÇÃO…” A verdade atrás dos débeis números…
Blog do Madia MadiaMM

Diário de um Consultor de Empresas – 11/05/2021

Francisco Madia comenta: “quando o som, livre, muda de mãos. Segue a Globo entregando os anéis. O desapego tomou conta da ex-vênus platinada. ‘Irmãos, é preciso coragem'”.
Blog do Madia MadiaMM

Diário de um Consultor de Empresas – 07/05/2021

Francisco Madia comenta sobre o homem que mudou nossas vidas. Se não de todos, de quase todos… E deu sentido a uma nova e revolucionária palavra, streaming. Ele, Reed Hastings, o Sr. Netflix, e que ensina o segredo de seu sucesso: a regra é não ter regras.
videos41anos

Vídeo 10

Hoje o décimo episódio desta série de 41 ANOS da MADIA onde convoco a todos para a construção de nosso legado. Para deixarmos para os que darão sequência a história do BRASIL, um país moderno e infinitamente melhor. Hoje falo sobre a PRIORIDADE ZERO. Mais que possível, e que já deveríamos ter realizado há no mínimo 10 anos.
Blog do Madia MadiaMM

Diário de um Consultor de Empresas – 24/02/2021

Francisco Madia comenta sobre “QUEM PLANTA TÂMARAS NÃO COLHE TÂMARAS” Os que planejaram a reinvenção da GLOBO nos últimos anos foram embora. Nenhuma outra instituição impactou e mudou tanto, a história de nosso país, para melhor, como a REDE GLOBO DE TELEVISÃO. Muito especialmente quando a responsabilidade por seu conteúdo levava a assinatura dele, JOSÉ BONIFÁCIO DE OLIVEIRA SOBRINHO. O BONI. Existirá uma NOVA GLOBO?
Negócio

Riquelmes em profusão

Uma das maneiras mais fáceis de descobrir a idade de uma pessoa é pelo nome. Muito especialmente e desde que sejam daqueles nomes diferentes e que pontificam em determinados momentos, em função de algum acontecimento onde prevaleçam ou destaquem-se personalidades e celebridades, ainda que, repetindo, momentâneas. Dentre as fontes inspiradoras de nomes para gerações e gerações de brasileiros nos últimos 50 anos, as novelas da Globo são imbatíveis. Calcula-se que hoje, 20% dos brasileiros, que nasceram nas últimas décadas, tenha, nomes de heróis e até mesmo vilões das novelas da Globo. Nomes jamais considerados pelas famílias brasileiras, do dia para a noite, como que por milagre, passaram a batizar milhares de meninos e meninas em todo o país. Claro tinham a ver com o nome de um personagem marcante da novela das 6, 7 ou 8. O mesmo acontece com outras atividades que inspiram mães e pais. Na Copinha São Paulo de 2020, e que reuniu times de todo o Brasil, a maior incidência, foi a profusão de Riquelmes. Doze jogadores de times de diferentes cidades com jogadores homenageando o craque argentino em seus nomes. Riquelmes procedentes de Minas, Ceará, São Paulo, Acre, Rio, Goiás, Amapá… Até o craque argentino jamais, qualquer brasileiro, foi batizado com esse nome. Um dos 12 Riquelmes, entrevistado pela Folha, disse sobre a razão da escolha de seu nome: “Quando eu nasci, 2001, o Riquelme estava no auge da carreira dele. E foi o carrasco do Palmeiras. E como meu pai é corintiano…”. Definitivamente “naming” é uma ciência das mais desafiadoras. Pode facilitar tudo na vida de uma pessoa, ou converter-se num tremendo empecilho. Lembro a vocês uma história que já contei de um taxista do ponto em frente ao MMM. Tinha um irmão gêmeo.  Ao irmão deram o nome de Douglas, e a ele, Orofoncio.  O irmão, o Douglas, estudou medicina e hoje é um médico de sucesso. Já o Orofoncio não é chamado pelo nome; e como lembra fisicamente e muito o negociador de Fernando Collor e que teve um fim trágico, só era chamado de… PC. E o que vale para pessoas, vale rigorosamente, e talvez mais, mesmo, para empresas, produtos e serviços. Naming, o primeiro, o inicial, e um dos maiores desafios do Branding. Assim, não entregue a alguém da família que tem jeito para a coisa, ou a qualquer engraçadinho, a semente da única propriedade de sua empresa e produto. Sua denominação. A semente a partir da qual origina-se a marca. Um ótimo e abençoado começo, ou, uma dificuldade para sempre. Em muitas situações, insuperável. Em tempo, fuja de adornos, penduricalhos e adereços em sua marca. Nada mais constrangedor. Sempre que possível, e sempre é possível, restrinja-se a construir sua marca exclusivamente com letras.