Tag: coronavirus

Novo hábito permite que contratações não parem por conta da quarentena

Decisão veio após a pandemia do COVID-19. Após a pandemia do COVID-19, algumas startups brasileiras decidiram adotar um novo hábito de contratação: à distância. O hábito está se tornando o “novo normal” entre empresas que estão mantendo seu ritmo de contratação em meio à pandemia do novo coronavírus. Nos unicórnios (empresas avaliadas acima de US$ 1 bilhão) Gympass, Loft e Wildlife, os novos funcionários estão sendo contratados remotamente e, para começar a trabalhar, recebem equipamentos e orientações em casa. Mais detalhes acesso nosso portal de conteúdo >

COVID 19: consumo de internet fixa aumenta e causa lentidão

Após início da quarentena provocada pela pandemia do coronavírus no país, operadoras de telefonia registraram um aumento médio de 40% no tráfego de internet banda larga fixa de sua rede. Vivo, Claro, TIM e Oi passaram a atender mais clientes em casa ao logo do dia e verificaram picos de consumo até 15% maiores. Os picos, normalmente, só ocorrem pela manhã, quando as pessoas estão saindo de casa, e à noite, quando retornam. A preocupação é que atinjam pico entre 150% e 200%, o que provocaria a falência da rede. Para tentar conter problemas que podem ocorrer por conta desses picos, governadores de pelo menos cinco estados (SP, RJ, BA, AM e GO) e do Distrito Federal solicitaram às operadoras conexões mais potentes e exclusivas para que a rede pública e privada de ensino possa restabelecer o ritmo de aulas por meio de videoconferências. Para tentar conter problemas que podem ocorrer por conta desses picos, governadores de pelo menos cinco estados (SP, RJ, BA, AM e GO) e do Distrito Federal solicitaram às operadoras conexões mais potentes e exclusivas para que a rede pública e privada de ensino possa restabelecer o ritmo de aulas por meio de videoconferências. Mais detalhes acesse nosso portal de conteúdo >

Home-office é alternativa para empresas em época de coronavírus

Lembrando que está é uma medida preventiva tomada pelas próprias empresas e não uma recomendação do Ministério da Saúde. O coronavírus está mudando o modo como algumas empresas operam, levando até em alguns casos suspender o expediente em seus escritórios e orientaram seus funcionários a fazerem home-office como medida preventiva. A medida preventiva vem sendo tomada por diversas empresas no mundo todo, uma vez que o vírus está se espalhando muito rápido e os sintomas lembram o de uma gripe comum, impossibilitando que os chefes afastem todos os funcionários que espirrarem, por exemplo. Além disso, com tantas suspeitas de contágio, não é possível testar todos aqueles que viajam ao exterior, já que o primeiro caso é prioridade. Lembrando que está é uma medida preventiva tomada pelas próprias empresas e não uma recomendação do Ministério da Saúde.