55 (11) 3065-6464 madia@madiamundomarketing.com.br

Qual é a Música?

11
out

tarja

 

 

Semana passada, fomos procurados por um empresário jovem, bem-sucedido, inspirador, e consciente dos desafios que tem pela frente. Veio em busca de orientação sobre o futuro de seu negócio, diante de tudo o que vem acontecendo com um velho mundo se despedindo, um novo mundo em processo de construção, e todos nós trabalhando num canteiro de obras caótico e de difícil leitura e quase impossível compreensão.

Acabamos nos especializando nisso. Em ajudar as empresas a enxergar depois e além do buraco escuro em que nos encontramos. E na certeza que ingressamos num mundo radicalmente novo e onde não é minimamente inteligente supor-se e sonhar que o velho modelo que deu certo, fama e fortuna, continuará próspero num ambiente radicalmente diferente e novo.

Nas conversas que tivemos, e na proposta que apresentamos ao querido amigo, repassamos o que dizia o adorado mestre Peter Drucker antes de nos deixar, no dia 11 de novembro de 2005. Sobre UMA ERA DE DESCONTINUIDADES, livro que escreveu em 1968, e que até hoje causa perplexidade, arrepios e calafrios nos que os leem pela primeira vez.

Dizia que a partir do ano 2000, começaríamos a mais radical dentre todas as travessias da história. Viveríamos – e estamos vivendo – duas décadas de mudanças radicais, de disrupções profundas. Pela nova posição da mulher na sociedade, pela conquista e finalmente de uma mesma moeda e uma mesma língua, e por um tsunami tecnológico que varreria para o mais fundo de todos os tapetas todas as nossas supostas verdades e convicções. Um Katrina global 100 vezes mais forte só que absolutamente silencioso.

E quando esse Katrina se for, e finalmente, ingressaremos no aguardado ADMIRÁVEL MUNDO NOVO, PLANO LÍQUIDO E COLABORATIVO, NA SHARING SOCIETY ONDE SÓ TEREMOS, INDEPENDENTE DAS DIFERENÇAS DE IDADE, PESSOAS DA FLUX GENERATION. E diante desse quadro, e inspirado na conversa anterior que tivemos com esse querido amigo, propusemos uma brincadeira de escolha única e com quatro alternativas, e que batizamos de QUAL É A MÚSICA.

E que é exatamente no momento em que todas as empresas de todo o mundo, independente do porte e setor de atividade se encontram hoje. Não podendo mais postergar a escolha e decidir-se por uma de 4 músicas. Se você quiser, vale para sua empresa também.

Música 1 – Para empresas que não têm a mais pálida ideia do que está acontecendo e sentem-se absolutamente perdidas. A música é o Theme From Mahogany, cantada por Diana Ross, e se você se lembra, a música diz…

“Do you know, where you´re going to…

Do you get what you´re hoping for…”.

Música 2 – Para empresas que se reconhecem perdidas, jogaram a toalha, e entregam a Deus e a sorte. A música é a do filme The Man Who Knew Too Much – O homem que sabia demais. E cantada pela Doris Day…

“Que sera, sera… Whatever will be, will be… The future is not ours to see… Que sera, sera… What will be will be…”.

Música 3 – Para empresas que resolveram ir a luta, encarar o desafio, e realizar a travessia em direção ao Admirável Mundo Novo. A música é a do filme Highlander, e cantada pelo Queen…

“There´s no time for us

There´s no place for us

What is this thing that builds our dreams Yet slips away from us…

WHO WANTS TO LIVE FOREVER?…”.

E a 4, música para quem ficou para trás, perdeu as esperanças, e vive de recordações, é a do filme The Way We Were, Nosso Amor de Ontem, dirigido pelo Sidney Pollack, e protagonizado por Robert Redford e Barbra Streisand e  por ela cantada… lembra?

“Memories light the corners of my mind

Misty water-colored memories

Of the way we were…”.

É mais ou menos por aí. Estamos diante de um desses tipos de programa de auditório, de um qual é a música.  E, claro, temos recomendado e orientado todos os nossos clientes na direção de Highlander… “We can have forever, we can love forever, forever is our today…”.

Se você quiser fazer esse exercício de forma mais lúdica e emocionante, recomendo que selecione essas 4 músicas e ouça na ordem que relacionei.

E tome a sua decisão!

Só para terminar, e brincando, claro, lembro a frase de WOODY ALLEN sobre o momento que vivemos:

“Mais que em qualquer outro momento da história da humanidade encontramo-nos diante de uma encruzilhada. O caminho da direita nos conduz ao sofrimento, a dor e ao desespero. O da esquerda à destruição e a loucura. Que Deus nos ilumine para tomar a melhor decisão”.

Qual é a música?

FRANCISCO MADIA, especial para o MMM.

servicos

Receba a news do Landmarketing

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *