55 (11) 3065-6464 madia@madiamundomarketing.com.br

Hostels. Vivendo no e do trabalho

14
fev

tarja-land-496

 

 

Se o Airbnb é uma novidade para todo o mundo – a maior dentre todas em termos de hospedagem e dos últimos 10 anos — a multiplicação e consolidação dos Hostels é, no mesmo período, para os brasileiros.

A grande onda adensou-se e ganhou corpo a partir do final da década passada, com o crescimento substancial do turismo interno, e ganhou um impulso adicional com a Copa de 2014.

Em verdade, os Hostels são originários da Alemanha. Os registros falam do primeiro deles — Youth Hostel — uma Pousada para Jovens e decorrente do Movimento da Juventude Alemã.

Acomodação acessível pelos preços, pela socialização dos hóspedes, quarto e banheiros e em muitos lavanderia e cozinha também partilhados.

Diferentes das clássicas pensões do Brasil, onde as pessoas se hospedam para uma permanência maior, nos Hostels, onde jovens, ou pessoas com espírito jovem, mochileiros, estão de passagem.

Neste exato momento, e diante das novas alternativas, os Hosteleiros vão se reposicionando e tornando mais específicos e claros seus posicionamentos.

Hoje, no Brasil, existe um número aproximado de 1,5 mil Hostels, e alguns com filiação internacional e associados à Hostelling Internacional.

A maior concentração encontra-se na cidade do Rio de Janeiro, seguido por São Paulo, Florianópolis, Salvador, Paraty, Foz do Iguaçu, Búzios… Ou seja, essa concentração revela exatamente o tipo de pessoas que procuram por essa alternativa de hospedagem.

No final do ano passado, Valor decidiu mergulhar no território dos Hostels.  E identificou uma de suas principais lideranças, o argentino German Olano, criador da rede de hostels El Misti.

German dá consultoria para interessados e lista as 5 principais regras a serem respeitadas pelos novos hosteleiros:

1 – Ao alugar um imóvel calcule o aluguel limitando, esse valor a no máximo R$ 100 cama/mês, na praia, ou R$ 250 cama/mês na cidade;

2 – Negocie um valor diferenciado, na locação na alta e na baixa para tornar equilibrado seu planejamento financeiro;

3 – Tecnologia em tudo que possível for, muito especialmente na gestão de reservas, estoques, governança e planejamento financeiro;

4 – Já na partida e sempre, tenha em caixa o correspondente a um ano para despesas e investimentos;

5 – Ame ser Hosteleiro.

Diz German, “Se você não se vê estando a frente de um próspero Hostels daqui a 10 anos é melhor nem começar”.

Conselho que, e de certa forma, vale para todas as coisas.

servicos

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *