55 (11) 3065-6464 madia@madiamundomarketing.com.br

Acorda, Nestlé!

6
dez

tarja-341

 

 

Numa terça qualquer do ano de 2017, a Nestlé promoveu um evento no Museu do Café de Santos, para anunciar novos lançamentos e revisões de estratégia. Acelerou!

Segundo seu presidente, o guatemalteco Juan Carlos Marroquin, e ao se referir ao principal lançamento da companhia, disse, “Em tempos de bonança não faríamos em tão pouco tempo o desenvolvimento de uma nova categoria”.

E que nova categoria é essa?

Comercialização de grãos torrados que serão processados em máquinas Nescafé Espresso, e que a Nestlé fornecerá para as Lojas de Conveniência: cafeterias, confeitarias e outros pontos de venda semelhantes e qualificados.

De alguma forma antepondo-se e confrontando as novas e pequenas casas de café que começam a se multiplicar pelas metrópoles.

Segundo o presidente da empresa a Nestlé investiu R$ 10 milhões no lançamento da nova categoria e pretende colocar 10 mil máquinas do sistema Nescafé Espresso até 2019.

A Nestlé nasceu com o leite, mas, na sequência, o café entrou em sua vida.

Sua primeira e mais consistente movimentação aconteceu em 1938, às vésperas da 2ª Grande Guerra, quando a pedido do Brasil – maior produtor de café mundial – desenvolveu na Suíça o café solúvel.

Batizado, de Nescafé.

Assim, e para completar o círculo todo, e que passa pelo solúvel, pelas cápsulas – Nespresso e Dolce Gusto -, e agora pelo fornecimento dos grãos em anexo às máquinas que moem e produzem o café, só falta a Nestlé comercializar seu café em grãos nas gôndolas de lojas especializadas e supermercados.

Isso posto, o que Marroquin não disse e deveriam ter-lhe perguntado:

1 – Quando a Nestlé vai assumir de verdade sua responsabilidade sobre a logística reversa das cápsulas do Nespresso. Hoje um novo flagelo mundial!

2 – Nesquívocos

Quando a Nestlé vai ter uma política de marcas mais competente e sensível, e não continuar produzindo um mega imbróglio.

Usando Nescafé para um sistema de café em grãos quando o brasileiro acostumou-se durante décadas de que Nescafé era designação genérica de categoria, era e é Café Solúvel e ponto.

Que no território da percepção e reconhecimento é um erro crasso falar-se em Nescafé Expresso. Nescafé foi, é, e será para sempre, Solúvel. Jamais Expresso!

3 – E quando o descuido de seus gestores vai terminar, aumentando a confusão, tipo, Nescafé Expresso, somando-se e sintetizando, Nespresso, que em verdade é o outro business.

Ou seja, se em ritmo normal a Nestlé vem produzindo confusão sobre confusão, e negligenciando-se em sua responsabilidade social, acelerando e se sintetizando num amontoado de equívocos: em grãos, solúvel, em pó, ou cápsulas!

Acorda, Nestlé, o café está na mesa!

FRANCISCO MADIA, especial para o MMM.

servicos

Receba a news do Landmarketing

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *